a segunda e a terceira taças

Apocalipse: a segunda e a terceira taças

O mesmo anjo executor desse juízo louva e glorifica a Deus por Sua perfeita Justiça

 

Em contraste com o juízo da segunda trombeta, a qual destrói a terça parte da criação que tinha vida no mar, o juízo da segunda taça atinge todo ser vivente que há no mar: "Derramou o segundo a sua taça no mar, e este se tornou em sangue como de morto, e morreu todo ser vivente que havia no mar." Apocalipse 16.3

A expressão "sangue como de morto" significa que este sangue não é mais portador de vida, mas morto, coagulado e malcheiroso. Os gigantescos oceanos se tornarão como cadáveres em lenta putrefação.

Aqueles que hoje pagam muito mais caro para viverem junto ao mar estarão fugindo diante da repugnância apresentada por ele, com o derramamento desta taça. Além disso, e o que é pior, todo alimento oriundo do mar estará destruído. Mas isto ainda não é o fim!

A Terceira Taça

"Derramou o terceiro a sua taça nos rios e nas fontes das águas, e se tornaram em sangue. Então, ouvi o anjo das águas dizendo: Tu és justo, Tu que és e que eras, o Santo, pois julgaste estas coisas; porquanto derramaram sangue de santos e de profetas, também sangue lhes tens dado a beber; são dignos disso. Ouvi do altar que se dizia: Certamente, ó Senhor Deus, Todo- Poderoso, verdadeiros e justos são os Teus juízos." Apocalipse 16.4-7

Novamente temos um paralelo com uma das dez pragas que vieram sobre o Egito, que no caso foi a primeira praga, conforme diz o texto sagrado:

"Assim diz o Senhor: Nisto saberás que eu sou o Senhor: com este bordão que tenho na mão ferirei as águas do rio, e se tornarão em sangue. Os peixes que estão no rio morrerão, o rio cheirará mal, e os egípcios terão nojo de beber água do rio.

Disse mais o Senhor a Moisés: Dize a Arão: toma o teu bordão e estende a mão sobre as águas do Egito, sobre os seus rios, sobre os seus canais, sobre as suas lagoas e sobre todos os seus reservatórios, para que se tornem em sangue; haja sangue em toda a terra do Egito, tanto nos vasos de madeira como nos de pedra.

Fizeram Moisés e Arão como o Senhor lhes havia ordenado: Arão, levantando o bordão, feriu as águas que estavam no rio, à vista de Faraó e seus oficiais; e toda a água do rio se tornou em sangue. De sorte que os peixes que estavam no rio morreram, o rio cheirou mal, e os egípcios não podiam beber a água do rio; e houve sangue por toda a terra do Egito." Êxodo 7.17-21

Com o advento desta praga, os egípcios tiveram uma alternativa: cavar poços artesianos. E também no que diz respeito ao juízo da terceira trombeta, apenas um terço de toda a água foi contaminada pelo absinto.

Mas aqui, nesta terceira taça da cólera de Deus, todas as fontes de água na Terra são atingidas, e ninguém em todo o mundo terá o direito de beber água! As consequências deste juízo são imprevisíveis, pois nunca, em toda a história do planeta, aconteceu tamanha destruição.

Imaginemos, por exemplo, o desespero da humanidade por um copo de água. Mas em vez disto, ela terá sangue! É como está escrito: "porquanto derramaram sangue de santos e de profetas, também sangue lhes tens dado a beber; são dignos disso." Apocalipse 16.6

Toda a água do mundo será transformada em sangue! A humanidade anticristã e idólatra merecerá este castigo, pois o sangue de santos (Igreja) e dos profetas (Israel) foi derramado injustamente.

Milhões de cristãos foram mortos durante a Inquisição na Europa. Da mesma forma na Palestina, quando expedições de mercenários, financiadas pela Babilônia, invadiram a Terra Santa, tentando tomar posse de Jerusalém, para que lá fosse estabelecido o trono do seu líder supremo, foram assassinados cristãos, judeus e muçulmanos.

Além disso, há o sangue de seis milhões de judeus, derramado por ordem de Hitler, também financiado pela Babilônia. Enfim, todo esse mar de sangue do passado, que se entranhou pela terra adentro, agora é trazido à tona pela justiça de Deus, e é dado a beber àqueles que o derramaram. E o mesmo anjo executor deste juízo louva e glorifica a Deus por Sua perfeita justiça, dizendo: "... Tu és justo, Tu que és e que eras, o Santo, pois julgaste estas coisas; porquanto derramaram sangue de santos e de profetas, também sangue lhes tens dado a beber; são dignos disso." Apocalipse 16.5-6

E, do interior do altar, o apóstolo João ouviu uma voz, que dizia: "... Certamente, ó Senhor Deus, Todo-Poderoso, verdadeiros e justos são os Teus juízos." Apocalipse 16.7

Este altar é o altar do holocausto, a cruz do Calvário, onde a justiça e a santidade de Deus foram anunciadas em alta voz, pela boca do Filho de Deus, o Senhor Jesus Cristo: "Quando, pois, Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado! E, inclinando a cabeça, rendeu o espírito." João 19.30

É como se o Filho, dirigindo-Se ao Pai, dissesse: "Meu Pai, esgotamos todos os recursos para evitar que a humanidade passasse por este juízo. Nós oferecemos a ela gratuitamente o melhor, e mesmo assim ela rejeitou." Portanto, "... Certamente, ó Senhor Deus, Todo-Poderoso, verdadeiros e justos são os Teus juízos." Apocalipse 16.7

(*) Trecho retirado do livro "Estudo do Apocalipse", do bispo Edir Macedo