A abertura do segundo selo

A abertura do segundo selo

O anticristo vem conquistando a mente da humanidade com o engano religioso

 

"Quando abriu o segundo selo, ouvi o segundo ser vivente dizendo: Vem! E saiu outro cavalo, vermelho; e ao seu cavaleiro, foi-lhe dado tirar a paz da terra para que os homens se matassem uns aos outros; também lhe foi dada uma grande espada." Apocalipse 6.3,4

Convém lembrar que há uma relação entre os quatro primeiros selos e os quatro cavaleiros sobre quatro cavalos, os quais seguem uma sequência de destruição logo após o surgimento do primeiro cavaleiro.

O anticristo vai conquistando a mente da humanidade com o engano religioso, além das doutrinas diabólicas que os seus subordinados espalham nas igrejas evangélicas de um modo geral. Esta é a principal característica do primeiro selo: destruição branca, inquisição branca, em nome da paz.

As universidades comprometidas com a Babilônia têm preparado jovens para servirem aos seus propósitos. É claro que nem todos os jovens são escolhidos, mas só aqueles que têm manifestado uma fé maior na religião, que se diz dominante, do que no próprio Deus.

Eles são futuros candidatos a prefeitos; governadores; presidentes; ministros; juízes; desembargadores; enfim, gente que pretende decidir o futuro das pessoas de acordo com a vontade da Babilônia.

Eu mesmo sou prova disso, pois o juiz que decretou a minha prisão em 1992 foi um jovem de 32 anos, que pertencia a uma organização babilônica. Esta prisão foi uma arbitrariedade, tendo em vista não haver nenhuma prova de que eu fosse charlatão ou curandeiro.

Havia apenas cartas anônimas, que faziam acusações vazias. Tanto é que doze dias depois eu estava livre e aquele juiz transferido para outra comarca. Por que ele agiu assim contra mim?

Simplesmente porque o trabalho evangelístico da Universal tem arrancado milhões de pessoas da idolatria, e isso preocupa a religião que se diz dominante.

Assim, para tentar nos coagir, foram armados processos penais vazios, a fim de que o nosso nome estivesse sempre nas manchetes criminais da mídia impressa e eletrônica.

É assim que aqueles comprometidos com a Babilônia trabalham em todo o mundo: tentam desmoralizar, perante a opinião pública, aqueles que são de Deus.

(*) Trecho retirado do livro "Estudo do Apocalipse", do bispo Edir Macedo