A abertura do primeiro selo

A abertura do primeiro selo

Quando o Senhor Jesus abre o primeiro dos sete selos, instaura-se uma nova fase

 

"Vi quando o Cordeiro abriu um dos sete selos e ouvi um dos quatro seres viventes dizendo, como se fosse voz de trovão: Vem! Vi, então, e eis um cavalo branco e o seu cavaleiro com um arco; e foi-lhe dada uma coroa; e ele saiu vencendo e para vencer." Apocalipse 6:1-2

O livro selado, que estava na mão direita d'Aquele assentado no trono, passou agora para as mãos transpassadas do Cordeiro de Deus. Ele é o testamento ou a herança de Deus e do Cordeiro; é o que o Senhor Jesus herdou na cruz do Calvário.

Com a abertura dos selos, a herança então passa a ter força de lei. Os selos precisam ser abertos, para que os juízos, tanto de justificação para os salvos quanto de condenação para os perdidos, possam ser executados.

E só o Senhor Jesus, o Cordeiro de Deus, tem autoridade para abri-los. Isso confirma as Suas palavras dirigidas aos Seus perseguidores, quando disse: "E o Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou todo julgamento" (João 5:22).

A partir do momento que o Senhor Jesus abre o  primeiro selo, institui-se uma nova época. Até hoje houve três épocas: a primeira, a sem Lei; a segunda, a da Lei (quando Deus deu a Moisés as Tábuas da Lei no Monte Sinai); e a terceira se iniciou com a vinda do Salvador ao mundo, representando a época da Graça.

Quando o Senhor Jesus abre o primeiro dos sete selos, instaura-se uma nova fase, a quarta e última época. No capítulo 6 do Apocalipse, encerra-se a Era da Graça e se inicia uma nova Era, pois nesse momento a Igreja do Senhor Jesus já está arrebatada.

Dispensação seria a palavra mais adequada para exprimir essas diferentes épocas, pois significa "uma Era em que Deus realiza uma determinada intenção". Hoje, por exemplo, nós estamos vivendo sob a dispensação da graça de Deus, quando Ele tem dado oportunidade ao mundo inteiro de ser salvo, através da pregação da Sua Palavra.

O amigo leitor pode, por exemplo, neste mesmo instante, parar a leitura, curvar a cabeça, fechar os olhos e, em uma simples oração, dizer a Deus: "Sim, Senhor Jesus, eu aceito a Tua oferta de salvar a minha vida neste exato momento. Ensina-me a viver de acordo com a Tua Palavra. Em Teu santo nome, amém!" Se essas palavras forem sinceras, o Espírito Santo, que o vê neste mesmo instante, fará o resto.

Antes de considerar a abertura do primeiro selo, convém lembrar que até o capítulo 3 o Apocalipse fala da Igreja do Senhor Jesus e, portanto, de acontecimentos na Terra.

Nos capítulos 4 e 5, o apóstolo João é levado diante do trono de Deus; portanto, fala-se agora do Céu. No capítulo 6, com a abertura dos selos, todas as ações são dirigidas para a Terra, pois começa o terrível período dos juízos de Deus: "Vi quando o Cordeiro abriu um dos sete selos e ouvi um dos quatro seres viventes dizendo, como se fosse voz de trovão: Vem!'" (Apocalipse 6:1).

Quando o Senhor Jesus abriu o primeiro selo, o apóstolo ouviu um dos quatro seres viventes dizendo "vem". Este "vem" também pode ser traduzido por "vai".

É uma ordem dirigida a um cavaleiro. Convém lembrar que essa ordem partiu de um dos seres viventes que estão "... no meio do trono, e à volta do trono..." (Apocalipse 4:6).

Também é importante notar a unidade de ação do Deus-Pai e do Deus-Filho, pois o Cordeiro abre o primeiro selo e a ordem vem do trono de Deus. A partir de então, o primeiro cavaleiro avança.

(*) Trecho retirado do livro "Estudo do Apocalipse", do bispo Edir Macedo